Joca Reiners Terron

From Wikipedia, the free encyclopedia
Jump to navigation Jump to search

Joca Reiners Terron (left) and Sérgio Sant'Anna at the Frankfurt Book Fair (2013)

João Carlos Reiners Terron (born 9 February 1968), writing as Joca Reiners Terron, is a Brazilian poet, novelist, designer and editor.[1]

Biography[edit]

Terron was born in Cuiabá, in 1968. He studied Architecture at UFRJ and studied Industrial Design at UNESP. He lives in São Paulo since 1995.

He was founder and editor of the independent publishing house Ciência do Acidente. His works appeared on several anthologies published in Brazil and abroad, such as Geração 90: os transgressores (Boitempo, 2003), Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século (Ateliê Editorial, 2004), Dentro de um livro (Casa da Palavra, 2005), A Literatura latino-americana do século XXI (Aeroplano Editora/Centro Cultural Banco do Brasil, 2005), Contos Cruéis: as narrativas mais violentas da literatura brasileira contemporânea (Geração Editorial, 2006), Rattapalax and McSweeneys 46: The Latin American Crime Issue (2014)[2]

Works[edit]

Novels[edit]

  • Não há nada lá (Ciência do Acidente, 2001; Companhia das Letras, 2011)
  • Curva de Rio Sujo (Planeta, 2004) (Adaptação cinematográfica produzida por Felipe Bragança)
  • Do fundo do poço se vê a lua (Companhia das Letras, 2010)
  • Guia de ruas sem saída – Bolsa Petrobrás de fomento à Criação Literária. Ilustrações de André Ducci, (selo editorial Edith, 2012)
  • A tristeza extraordinária do Leopardo-das-Neves (Companhia das Letras, 2013)
  • Noite Dentro da Noite (Companhia das Letras, 2017)

Short stories[edit]

  • Hotel Hell (Livros do Mal, 2003)
  • Sonho interrompido por guilhotina (Casa da Palavra, 2006)

Poetry[edit]

  • Eletroencefalodrama (Ciência do Acidente, 1998)
  • Animal anônimo (Ciência do Acidente, 2002)
  • Transportuñol borracho (Yiyi Jambo, Asunción, 2008)

Stage plays[edit]

  • Cedo ou tarde tudo morre – dirigida por Haroldo Rego e encenada no projeto Nova Dramaturgia Brasileira (CCBB Brasília – maio/2011).
  • Bom Retiro 958 Metros – com Teatro da Vertigem, direção de Antônio Araújo, encenada em São Paulo entre junho de 2012 e abril de 2013.}

Awards[edit]

  • Prêmio Redescoberta da Literatura Brasileira da Revista Cult por "Não Há Nada Lá" (2000).
  • Bolsa para autores com obra em conclusão da Fundação Biblioteca Nacional (2002).
  • Bolsa Petrobras de Criação Literária por "Guia de Ruas Sem Saída" (2007).
  • Prêmio Machado de Assis de Romance da Fundação Biblioteca Nacional por Do fundo do poço se vê a lua (Companhia das Letras, 2010).
  • Menção Honrosa na categoria Contos por "A Memória é uma Curva de Rio Sujo" – Concurso Nacional de Literatura Cidade de Belo Horizonte.

References[edit]

  1. ^ "G1 – Máquina de Escrever – Luciano Trigo " Romance de Joca Reiners Terron envereda pelo terror psicológico " Arquivo". g1.globo.com. Retrieved 13 September 2016.
  2. ^ "Interviews with the Authors of McSweeney's 46: The Latin American Crime Issue: Joca Reiners Terron". Retrieved 13 September 2016.

External links[edit]