José Veríssimo

From Wikipedia, the free encyclopedia
Jump to navigation Jump to search
José Veríssimo, ca. 1900.

José Veríssimo Dias de Matos (8 April 1857 – 2 December 1916) was a writer,[1] educator,[2][3] journalist, literary critic,[4][5] and founding member of the Brazilian Academy of Letters.[6]

Biography[edit]

José Veríssimo was born in Óbidos, Pará, the son of José Veríssimo de Matos and Ana Flora Dias de Matos. His early school-days were spent in Manaus and Belém.[7] In 1869, he was sent to Rio de Janeiro to continue his studies, but had to return to Pará due to poor health.[8] He then devoted himself zealously to journalism and teaching. In 1891, Veríssimo returned to Rio de Janeiro and took a position as professor in Colégio Pedro II. For some time (1895–1899), concurrently with his scholarly labors, he edited the famous Revista Brasileira.[9]

Works[edit]

  • Primeiras Páginas (1878).
  • Emilio Littré (1882).
  • Diversos: Cenas da Vida Amazônica (1886).
  • Questão de Limites: Pará e Amazonas (1889).
  • Estudos Brasileiros (2 Vols., 1889–1904).
  • Educação Nacional (1890).
  • A Amazônia: Aspectos Econômicos (1892).
  • A Pesca na Amazônia (1895).
  • A Instrução Pública e a Imprensa (1900).
  • Estudos de Literatura (6 vols., 1901–1907).
  • Homens e Coisas Estrangeiras (3 Vols., 1902–1910).
  • Que é Literatura e outros Escritos (1907).
  • Interesses da Amazônia (1915).
  • História da Literatura Brasileira (1916).[10]
  • Letras e Literatos (1936).

Selected articles

  • "A Revolução Chilena e a Questão da América Latina", Revista Brasileira, Vol. 111, 1895, pp. 108–121.
  • "Gregório de Mattos," Revista da Academia Brazileira de Letras, Vol. 2, 1912, p. 27–44.

Notes[edit]

  1. ^ Stern, Irwin (1988). Dictionary of Brazilian Literature. New York: Greenwood Press, pp. 362–363.
  2. ^ Cavazotti, Maria Auxiliadora (2003). O Projeto Republicano de Educação Nacional na Versão de José Veríssimo. São Paulo: Annablume.
  3. ^ Araújo, Sônia Maria da Silva (2010). "Educação Republicana sob a Ótica de José Veríssimo," Educar em Revista, No. 2, pp. 303–318.
  4. ^ Barbosa, João Alexandre (1978). José Veríssimo: Teoria, Crítica e História Literária. Rio de Janeiro/São Paulo: LTC/Edusp.
  5. ^ Pereira, Márcio Roberto (2009). "José Veríssimo: Literatura e Construção do Cânone," Archived 2014-10-29 at the Wayback Machine. Diálogo e Interação, Vol. 1.
  6. ^ Peregrino Júnior (1957). "José Veríssimo: Homem de Carne e Osso," Revista da Academia Brasileira de Letras, Vol. 93, No. 57, pp. 9–21.
  7. ^ Prisco, Francisco (1937). José Veríssimo: Sua Vida e Suas Obras. Rio de Janeiro: Bedeschi.
  8. ^ "José Veríssimo," Academia Brasileira de Letras.
  9. ^ Goldberg, Isaac (1922). "José Veríssimo." In: Brazilian Literature. New York: Alfred A. Knoff, p. 187.
  10. ^ Barbosa, João Alexandre (2002). "A História da Literatura Brasileira." In: Alguma Crítica. Cotia: Atelie Editorial, pp. 111–129.

Further reading[edit]

  • Barbosa, João Alexandre. (1974). A Tradição do Impasse: Linguagem da Crítica e Crítica da Linguagem em José Veríssimo. São Paulo: Ática.
  • Barbosa, João Alexandre. (1996). "Uma Introdução a José Veríssimo." In: A Biblioteca Imaginária. Cotia: Atelie Editorial, pp. 173–221.
  • Barbosa, João Alexandre. (2000). "José Veríssimo: Leitor de Estrangeiros," Literatura e Sociedade, No. 5, pp. 56–84.
  • Carone, Edgard (1969). A Primeira República. Texto e Contexto: 1889-1930. São Paulo: Difel.
  • Lins, Álvaro (1944). Jornal de Crítica, 3ª Série. Rio de Janeiro: José Olympio.
  • Martins, Wilson (1952). A Crítica Literária no Brasil. São Paulo: Depto. de Cultura.
  • Montenegro, Olívio (1958). José Veríssimo: Crítica. Rio de Janeiro: Agir.
  • Romero, Sílvio (1909). Zéverissimações Ineptas da Critica: Repulsas e Desabafos. Porto: Comércio do Porto.
  • Veríssimo, Ignácio José. (1966). José Veríssimo Visto por Dentro. Manaus: Edições Governo do Estado do Amazonas.

External links[edit]

Preceded by
João Francisco Lisboa (patron)
Olivenkranz.png
Brazilian Academy of Letters – Occupant of the 18th chair

1897–1916
Succeeded by
Francisco Inácio Marcondes Homem de Melo